sábado, 11 de outubro de 2008

Segundo domingo de dezembro, dia da Bíblia. Que tal aprender mais sobre ela?

Introdução: I PE 3.15, II Pedro 1.20,21

A Bíblia é conhecida como o Livro dos livros. Isto, porque nela está a Revelação de Deus. Ele se revela ao homem pela Sua Palavra. Ao tomar conhecimento da Palavra de Deus, o homem também terá respostas para muitas perguntas tais como: De onde surgiram todas as coisas? Por que e para que existimos? Para onde estou indo? Estudando a Bíblia você conhecerá Deus e saberá qual a vontade Dele para a sua vida.

Na vida do crente, a Bíblia é o alimento que o fará crescer na graça e conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Mas, para isto, é fundamental que haja a leitura, estudo, meditação e aplicação Dela no viver diário do servo de Deus.

Quem é o Autor da Bíblia?

• II Pedro 1.20,21 e II Timóteo 3.16,17

O Autor da Palavra de Deus é o Próprio Deus. Para fazer com que sua Palavra chegasse até os homens Ele usou o próprio homem para escrevê-la. Esses homens eram servos fiéis do Senhor.

• A expressão “inspirada” no grego é theopneustos que significa “soprado por Deus”.

A Origem da Palavra de Deus.

• A Palavra Bíblia no grego é “Biblos”, que traduzido é “Livros”; ou seja, um conjunto de livros.

• São 39 livros no Antigo Testamento e 27 no Novo.

• Seus livros foram escritos por cerca de 40 homens Inspirados pelo Espírito Santo, num período aproximado de 1.600 anos.

• Ela foi escrita originalmente em Hebraico, Aramaico e Grego.

Materiais e Formatos Primitivos

• Papiros – 300 a.C. – “Papel”.
• Pergaminho – Peles – I Século.
• Penas de aves.
• Vitríolo ou Óleo de Bugalho com Fuligem.
• Era impossível de se carregar por causa do Peso e Volume.
• A condução se tornou possível com a invenção do Papel pelos chineses no Século II.
Línguas Originais

• Antigo Testamento > Hebraico com alguns Versículos de Ester em Aramaico.
• Novo Testamento > Grego Koiné (Língua Morta)
• Foi chamada pela primeira vez de Bíblia por João Crisóstomo Bispo Reformador de Constantinopla (392 –404 d.C.).

O Reconhecimento e aceitação dos Livros.

O “Cânon” – Na nossa língua esta palavra tem raiz com as palavras “cana” e “junco”. (hebraico geneh / grego kanon). A vara de junco era usada para medir, e com o tempo passou a significar “Padrão”. Daí não fica difícil entender a relação da Palavra Cânon, com a Palavra de Deus. Os textos bíblicos foram passados pelo cânon, para serem reconhecidos e aceitos como Palavra de Deus.

02
Perguntas feitas nos testes de inclusão de um livro no cânon – livros canônicos.

I – Revela autoridade? Veio da Parte de Deus? Veio com o autêntico “assim diz o Senhor”?
II – É profético? Foi escrito por um homem de Deus?
III – é autêntico? Os pais da Igreja tinham a prática de “em caso de dúvida, jogue fora”?
IV – É dinâmico? Veio acompanhado de poder divino de transformação de vidas?
V – Foi aceito, guardado, lido e usado? Foi reconhecido pelo povo de Deus?
II Pedro 3.15,16 – Pedro reconheceu as Cartas de Paulo.
Manuscritos e Cópias Originais
• Não Existe nenhum saído das mãos dos seus escritores.
• Foi providência divina. Por causa da idolatria. (Haste de metal, a Arca, o corpo de Moisés etc).
• Era costume dos Judeus escribas queimarem ou enterrarem os Manuscritos velhos. Após copiarem.
• Reis idólatras e ímpios de Israel contribuíram por sua vez para destruição desses originais. Caso de Jr 36:20-26, Jeioiaquim filho de Josias.
• Antíoco Epfanes, da Síria, (175-164 a.C.) - Pela sua crueldade assolou Jerusalém em 168 a.C. destruiu todas as cópias que achou das Escrituras.
• Tito Vespasiano, (Ano 70 d.C.) – Tenta derrubar o Templo de Salomão, não conseguindo o incendeia cumprindo o que Jesus Cristo dissera em.
• Imperador Deocleciano, (284-305 d.C.) – cunhou moeda comemorativa da destruição das Escrituras.

A Septuaginta Primeira Tradução das Escrituras – (285-246 a.C.). Sob Ptolomeu Philadelfo (Alexandria) a cópia mais antiga está na biblioteca do Vaticano (325 d.C.).
A Vulgata Latina É a tradução da Bíblia toda, por Jerônimo de Roma, 405 d.C. Foi adotada como versão oficial da igreja Romana desde o concílio de Trento (1546 d.C.).
Versão Autorizada do Rei Tiago Inglaterra, 1611 d.C., versão predileta até hoje pelo povo de língua inglesa.

• Hoje, a Bíblia acha-se traduzida em cerca de 1650 línguas e dialetos.

Primeira Bíblia Impressa

• Prelo de Tipos Móveis, Gutenberg em 1450 d.C. e Mainz na Alemanha.

Primeira Bíblia em Português

• Pastor João Ferreira de Almeida nasceu em Lisboa em 1628. Faleceu em Java em 1691. A tradução foi feita na ilha de Java, na cidade de Batávia, hoje Java é Jacarta. Capital da Indonésia.
• Foi Ministro da Igreja Reformada Holandesa, a mesma que evangelizou o Brasil, começando por Recife no Séc. XVII.
• A igreja Católica através do Tribunal da Inquisição tentou queimá-lo vivo, não conseguindo. Queimou uma estátua sua em Goa.
• Almeida primeiramente traduziu o Novo Testamento o qual foi publicado em 1681 em Amsterdã, Holanda, na Biblioteca Nacional do Rio de janeiro tem um Exemplar da 2ª Edição feita em 1712.
• Almeida traduziu o Antigo testamento até o livro de Ezequiel, quando o senhor o chamou.
• Ministros amigos seus terminaram esse trabalho e publicaram a obra completa em 1753.
• A Sociedade Bíblica Britânica e estrangeira publicou a tradução de Almeida em 1809, apenas o Novo Testamento.
• Publicou a Bíblia completa num só volume em 1819, revisando-a em 1894 e 1925.
• A Bíblia de Almeida foi publicada pela 19ª vez no Brasil em 1944 pela Imprensa Bíblica Brasileira.

Classificação dos Livros do Antigo Testamento.

• A Lei, o Pentateuco (Torah do hebraico) – 5 livros.

- Gênesis
- Êxodo
- Levítico
- Números
- Deuteronômio

• Livros históricos – 12 livros.

- Josué
- Juízes
- Rute
- I Samuel
- II Samuel
- I Reis
- II Reis
- I Crônicas
- II Crônicas
- Esdras
- Neemias
- Ester

• Livros poéticos – 5 livros.

- Jó
- Salmos
- Provérbios
- Eclesiastes
- Cântico dos cânticos (Cantares de Salomão)

• Os Profetas Maiores – 5 livros.

- Isaías
- Jeremias
- Lamentações de Jeremias
- Ezequiel
- Daniel
03
• Os Profetas Menores – 12 livros

- Oséias
- Joel
- Amós
- Obadias
- Jonas
- Miquéias
- Naum
- Habacuque
- Sofonias
- Ageu
- Zacarias
- Malaquias

Jesus Testemunhou a respeito do cânon do Antigo Testamento. ( Lucas 24.44 e 11.51) Em Lucas 11.51 vemos o testemunho de Cristo desde Abel (primeiro livro) até Zacarias (último livro de crônicas). Jesus testemunhou a respeito da história que está registrada no Antigo Testamento que vai de Gênesis até II Crônicas, incluindo também os profetas e livros poéticos que são partes dos livros históricos.

O que são livros não canônicos?

Os livros não canônicos, também, chamados de “Apócrifos”. São livros que foram escritos no período interbíblico.(período entre Malaquias e Matheus) – Contudo, não são Inspirados por Deus, pois nesse período Deus não se revelou com nenhuma mensagem aos homens. Esses livros não se enquadram no teste canônico, e estão cheios de falsas doutrinas. Os principais são: I e II Esdras, Tobias, Judite, adições a Ester, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico, Baruque, O Cântico dos três Hebreus, A oração de Manasses, I e II Macabeus e Acréscimos em Daniel.

A Igreja Católica Romana incluiu alguns na Bíblia:

Tobias, Judite, Eclesiástico, Baruque, I e II Macabeus, Sabedoria e acrécimos em Daniel e Ester.


Os Livros do Novo Testamento:

Obs.: Para os livros do Novo Testamento, além dos testes já citado, como fator básico para determinar a autenticidade foi observado a Inspiração divina com o teste da apostolicidade, que não se restringia a autoria dos livros, mas também autoridade e aprovação.
- A Igreja foi edificada sobre o fundamento dos apóstolos e profetas.
- Autoridade concedida pelo Senhor Jesus.
- Teste de apostolicidade.

Efésios 2.20, Atos 2.42, Gálatas 1.1, I Coríntios 14.37, I Coríntios 7.10, Apocalipse 2.2


04
Classificação dos livros do Novo Testamento:

• Os Evangelhos – 4 livros.

- Mateus.
- Marcos
- Lucas
- João

• O Livro Histórico – 1 Livro.

- Atos dos Apóstolos.

• As Epístolas de Paulo – 14 Livros.

- Romanos
- I Coríntios.
- II Coríntios.
- Gálatas
- Efésios
- Filipenses
- Colossences
- I Tessalonicenses
- II Tessalonicenses
- I Timóteo
- II Timóteo
- Tito
- Filemon
- Hebreus ( Não são todos que a aceitam como tendo sido escrita por Paulo)

• AS Epístolas Gerais – 7 livros.

- Tiago.
- I Pedro
- II Pedro
- I João
- II João
- III João
- Judas

• Livro Profético – 1 livro.

- Apocalipse

05
COMO ESTUDAR A PALAVRA DE DEUS.

1-O Crente precisa ler e compreender o texto bíblico.

Para isto ele deve:

• Iniciar o estudo numa postura de submissão e oração a Deus.
• Após ler o texto bíblico, ele deve observar as palavras que não entendeu. Deve então relaciona-las para, a seguir buscar o significado destas palavras. Algumas Bíblias com versões diferentes poderão ajudar na compreensão de tais palavras. Contudo, o dicionário é importantíssimo para esta tarefa.

• Agora você deve ler o texto novamente para entender o que está lendo. Normalmente numa segunda leitura, detalhes que se passaram despercebidos na primeira leitura, agora serão observados.

• Lendo-a mais uma vez, você estará compreendendo todo o texto.


Algumas perguntas ajudarão na compreensão do texto:

• O que aconteceu?
• Quais são os personagens?
• Onde aconteceu?
• Quando aconteceu?
• Porque Aconteceu?
• Como aconteceu?

O CRENTE PRECISA INTERPRETAR O TEXTO:

A interpretação é compreender o que Deus está falando através de Sua Palavra. Na busca da verdade, alguns passos são importantes para o Crente ter sucesso na interpretação:

• Deve-se crer que Deus o Autor da Palavra, deseja que ela seja revelada ao homem. Logo, como servos devemos crer que o Espírito Santo estará nos ensinando; Ele estará nos dando condições para entender a Sua Palavra.

• Deve-se também ler o texto à luz da época em que foi escrito. Algumas perguntas devem ser feitas:

- Quem escreveu?
- Para quem escreveu?
- Qual era a situação da época?
- De onde escreveu?
- Como era a cultura?

• Deve-se também tomar conhecimento do contexto da leitura. Quando falamos do contexto estamos nos referindo aos versículos anteriores e posteriores do texto que estamos tratando.

06
• Observação do sentido original da palavra.

• Deve-se observar o aspecto literário. Os escritores das Bíblia tinham o seu próprio modo de comunicar. Daí, os vários gêneros de literatura. É preciso que se considere na interpretação o aspecto literário. Não se interpreta da mesma maneira uma poesia, parábola ou alegoria.

• A interpretação deve ser feita à luz do todo. A própria Bíblia interpreta a Bíblia. (I Coríntios 14.33) do Gênesis ao Apocalipse a Bíblia se harmoniza.

Algumas ferramentas ajudarão na interpretação:

• Um bom comentário bíblico.
• Um bom dicionário bíblico.
• Uma boa chave bíblica. (concordância)

O Crente precisa aplicar a Palavra de Deus à sua vida.

Com base nestas informações, o crente agora estará aplicando o que entendeu ser a mensagem de Deus para a sua vida.

A Revista Maturidade Cristã da J.M.N. da C.B.B., traz 5 questões que devem ser observadas na aplicação da Palavra de Deus na vida do Crente.

1- Qual a mensagem de Deus para a minha vida hoje?
2- Há algum mandamento a que preciso obedecer?
3- Há alguma promessa de que eu deva tomar posse?

• Verificar se as promessas são universais e se aplicam aos nossos dias atuais.
• Observar se as promessas estão associadas a algumas condições. (Ex. Jo 15.14
4- Existe alguma advertência a observar?
5- Há algum princípio eterno? (Gl 6.7)

Conclusão:

Através da Bíblia, conhecemos a vontade de Deus para a nossa vida. Através Dela nos preparamos para ser instrumentos nas mãos do Senhor para proclamar o nome de Cristo aos perdidos. Alimente da Palavra de Deus e seja uma bênção!


Fonte: Introdução Bíblica (Pr. J. Cabral)

Um comentário:

  1. Graça paz, irmao Mateus!! fazendo uma pesquisa pela internet encontrei eu blog gostei e ja estou por aqui.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Gnotícias