terça-feira, 15 de julho de 2008

“TODOS OS CAMINHOS LEVAM A DEUS?”

I. O QUE É SALVAÇÃO


1. Definição: Salvamento, libertação de um perigo iminente. Livramento, do que se aceita a Cristo, do poder e da maldição do pecado. Restituição do homem à plena comunhão com Deus. (Dicionário Teológico da CPAD).


2. A doutrina da salvação no Novo Testamento: Salvação é a doutrina segundo a qual Deus, em seu insondável amor, ofereceu o seu Unigênito para salvar; por intermédio da fé, os que aceitam Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador.


II. OS FUNDAMENTOS DA SALVAÇÃO


1. A pecaminosidade do ser humano: Rm 3.23.

2. A santidade de Deus: Lv 19.2.

3. A justiça de Deus: Rm 1.32.

4. O amor de Deus: Rm 5.8 e Jo 3.16.

5. A possibilidade de salvação: Mc 16.16.


III. A GRANDEZA DA SALVAÇÃO (Hb 2.1-4)


1. Transcende o tempo: Ap 13.8.

2. Transcende o espaço: Jo 3.16.

3. Transcende as barreiras nacionais e culturais: Tt 2.11

4. Transcende o entendimento humano: Ef 3.19.


V. A GRAÇA DE DEUS NA SALVAÇÃO DO HOMEM (Ef 2.8)


1. Definição etimológica. Tanto a palavra hebraica hessed, quanto a grega charis, trazem a idéia de favor imerecido. Esta é, aliás, a mais universal e clássica definição de graça.


2. Definição teológica. A graça, portanto, é o amor que Deus revela, por intermédio de Cristo, à raça humana, ainda que esta nada mereça, capacitando-a a compreender, a aceitar e a usufruir, de imediato, das bênçãos do Plano de Salvação (Ef 2.8,9). A graça é operada mediante a fé.


3. Objetivos da graça de Deus. A graça tem por objetivos: 1) salvar gratuitamente o homem da condenação do pecado; e: 2) restringir a ação deste, levando o ser humano a viver nas regiões celestiais em Cristo Jesus (Rm 5.2; Ef 2.8)


VI. JESUS, O AUTOR E O CONSUMADOR DE NOSSA FÉ (Hb 12.2).


VII. DE QUE FORMA PODE O HOMEM PODE ARREPENDER-SE DE SEUS PECADOS


1. Encarando com seriedade a lei da semeadura e da colheita: Gl 6.7.

2. Deixando a iniqüidade e voltando-se inteiramente a Deus. (2 Pe 3.9)


VIII. A REGENERAÇÃO


1. Definição etimológica. A palavra regeneração significa gerar de novo, nascer outra vez.

2. Definição teológica. (2 Pe 2.4)

3. A necessidade da regeneração. É necessária para se entrar no céu (Jo 3.3); para se resistir ao pecado (1Jo 3.9); para se ter uma vida de retidão (1Jo 2.29).


XI. JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ


1. Definição. Enquanto a regeneração é um ato, a justificação é um processo que tem lugar junto ao tribunal de Deus.


2. Diferença entre justificação e regeneração. Se por um lado, a regeneração é a expressão máxima da nova natureza que o homem recebe pela salvação em Cristo Jesus; por outro: a justificação remete à sua nova posição jurídica diante do justíssimo Deus.


3. Os fundamentos da justificação:


a) O pecado, cuja prática constitui-se em injustiça: 1 Jo 1.9

b) A natureza justa de Deus: Dt 32.4.

c) A impossibilidade de o homem justificar-se perante Deus: Jó 9.2.


4. O autor da justificação: Is 53.11, Rm 5.9.


5. Os benefícios da justificação:


a) Um novo relacionamento com Deus: 1 Jo 2.29.

b) Um novo status diante de Deus e dos homens: 1Jo 3.7.

c) Uma nova disposição espiritual: Rm 5.1.

d) Uma nova posição jurídica: Rm 8.33.

e) Uma nova perspectiva quanto ao futuro: Tt 3.7.


6. Como obter a justificação:


a) Pela fé em Cristo: Gl 2.16.

b) Pela fé demonstrada na prática: Tg 2.24


XII. A ADOÇÃO


1. Definição Etimológica: vocábulo grego huiothesia.


2. Definição Teológica: Rm. 8.15, 23; 9.4; Gl 4.5; e Ef 1.5.


3. Privilégios da adoção:

· Ser filho de Deus: 1 Jo 3.2

· Ser irmão de Jesus: Hb 2:11

· Ser herdeiro dos céus: Rm 8.17

· Libertação do medo: Rm 8.15

· Ter segurança e certeza da vida eterna: Gl 4.5,6


XIII. A SANTIFICAÇÃO


1. Definição: Antigo Testamento (Kodesh); NT (Hagiazo).


2. A Santificação como um processo:

  • Pv 4.18;
  • Fp 3.12-14;
  • 2 Co 3.18b;


3. Os propósitos da Santificação: (Lv 19.2; Gl 2.19).


4. Os meios da Santificação:


· A Palavra: Jo 17.17

· O Sangue de Jesus: Hb 13.12

· O Espírito Santo: 2 Ts 2.13

· A Fé em Deus: At 26.18


Bibliografia: ANDRADE, Claudionor de. Doutrinas Centrais da Fé Cristã. 1.Ed. CPAD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Gnotícias